A importância do Enem

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi criado em 1998 pelo Ministério da Educação (MEC) com o intuito de avaliar a qualidade do ensino médio no Brasil. Ao logo dos anos inúmeras funções foram atrbuidas aos exame, merecendo destacar que  desde 2009, o exame tornou-se umas das principais portas de entrada no ensino superior no Brasil.

 

Acesso às universidades particulares

Em 2004, a nota do Enem passou a ser utilizada para a obtenção de bolsas de estudos integrais e parciais em cursos de graduação em universidades e faculdades particulares por meio do Programa Universidade Para Todos (ProUni). Até o ano passado, o programa já havia atendido mais de 1,2 milhão de estudantes em todo o Brasil, sendo 69% com bolsas integrais.

Atualmente, algumas faculdades particulares também passaram a utilizar a nota do Enem em seu processo seletivo.

 

Acesso às universidade públicas

Em 2009, o Governo Federal implementou o Sistema de Seleção Unificada (SiSU), que utiliza a nota do Enem como forma de ingresso em várias instituições públicas de ensino superior. A ideia é democratizar as oportunidades de concorrência às vagas federais de ensino superior por meio de um processo nacional. Assim, estudantes de qualquer estado podem concorrer a vagas de qualquer região. Só no ano passado foram ofertadas 171.756 vagas em cursos superiores por universidades federais, estaduais e institutos federais em todo o Brasil. Mesmo algumas universidades federais que não estão no SiSU utilizam integralmente ou parcialmente a nota do Enem na seleção dos universitários.

 

Certificação do Ensino Médio

Desde 2012, jovens maiores de 18 anos que ainda não concluíram o Ensino Médio podem obter a certificação de conclusão desta etapa de ensino utilizando apenas a nota do Enem. Em 2013, mais de 780 mil inscritos prestaram o exame com este propósito, segundo dados do Ministério da Educação (MEC).

 

Intercâmbio internacional

A nota do Enem agora é um pré-requisito para que os estudantes de graduação possam fazer intercâmbio pelo programa Ciência Sem Fronteiras. Lançado em meados de 2011, o programa visa proporcionar a estudantes de graduação e pós-graduação a experiência de estudar em faculdades de excelência, em diversos países. O programa tinha como meta conceder 101 mil bolsas até este ano, mas o governo federal anunciou há alguns meses a segunda etapa do Ciência sem Fronteiras com mais 100 mil bolsas.