O que é o Enem

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é um teste elaborado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia do MEC, aos estudantes e egressos do ensino médio desde 1998.

Até 2008, o objetivo do exame era possibilitar ao educando uma avaliação das competências desenvolvidas ao longo da educação básica. A partir de 2009, o Enem acrescenta aos seus objetivos a seleção para ingresso no ensino superior e passa a ter uma matriz avaliando o domínio de competências e habilidades em quatro áreas do conhecimento e em redação.

 

Estrutura da prova

Desde 2009 a, prova do Enem é composta de 180 questões de múltipla escolha, assim distribuídas:

 

Área: Ciências da Natureza e suas tecnologias

Disciplinas: Química, Física e Biologia.

Número de Itens: 45

 

Área: Ciências Humanas e suas tecnologias

Disciplinas: História, Geografia, Filosofia e Sociologia.

Número de Itens: 45

 

Área: Linguagens, Códigos e suas tecnologias

Disciplinas: Língua Portuguesa, Literatura, Língua Estrangeira (Inglês ou Espanhol), Artes, Educação Física e Tecnologias da Informação e Comunicação.

Número de Itens: 45

 

Área: Matemática e suas tecnologias

Disciplinas: Matemática (Álgebra e Geometria)

Número de Itens: 45

 

Redação

A Redação do Enem busca avaliar cinco competências. A nota de cada competência varia de 0 a 200 pontos. A nota final em redação é a soma simples das notas em cada competência. No entanto, existem condições em que a nota do participante pode ser zero:

 

1- Fuga total ao tema;

�2- Não obediência à estrutura dissertativo-argumentativa;

3- Texto com até 7 (sete) linhas;

�4- Impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação ou parte do texto deliberadamente desconectada do tema proposto;

�5- Desrespeito aos direitos humanos;

�6- Folha de redação em branco, mesmo que haja texto escrito na folha de rascunho.

 

Pontuação

Desde 2009 o Inep tem utilizado a Teoria da Resposta ao Item (TRI) para calcular a pontuação dos candidatos. A mudança na metodologia de avaliação visa garantir que as provas de todas as edições posteriores do Enem sejam comparáveis, já que as os itens são medidos pelo seu grau de dificuldade.

 

Dessa forma, a nota não é calculada pela soma dos acertos, mas sim pelo nível de dificuldade dos itens acertados e a coerência nos acertos. No Enem, as questões são classificadas como fáceis, médias e difíceis, e cada uma possui uma pontuação diferente. Logo, pessoas com o mesmo número de acertos podem não ter notas iguais. Um dos diferenciais da TRI é que ela ajuda a reconhecer se um participante acertou um item ao acaso ou não.

 

Além disso, nas questões de múltipla escolha não há uma escala de nota definida como na redação. As médias dependem do grau de dificuldade das questões naquela edição. A maior nota possível em cada área será a pontuação do item de maior valor. Para preservar a escala, não há item com valor de 1000 pontos, por isso não é possível alcançar essa nota para as provas objetivas..

 

Aplicação

O Enem ocorre anualmente, geralmente no mês de novembro, todo o Brasil e não é obrigatório. As provas são aplicadas em dois dias, sempre aos sábados e domingos.

 

1º Dia: Ciências da Natureza e suas tecnologias e Ciências Humanas e suas tecnologias.

2º Dia: Linguagens, Códigos e suas tecnologias, Matemática e suas tecnologias e Redação.

 

Qualquer pessoa pode participar do Enem, basta realizar sua inscrição pelo site do exame no período determinado pelo Inep. Assim, podem fazer a prova estudantes do ensino médio para testar seus conhecimentos, que está concluindo ou já terminou o ensino médio para ingressar na universidade e pessoas maiores de 18 anos que não concluíram o ensino médio e desejam obter a de certificação de conclusão desta etapa de ensino.

 

Além disso,  o Enem permite que pessoas em reclusão também realizem o exame. As provas são aplicadas dentro das unidades prisionais em data diferente.